Skip to content


The eight protocol rules broken in the royal wedding

The eight protocol rules broken in the royal wedding

We love royal weddings, is a fact that we can’t and we don’t try to hide. The wedding dress, the veil, the tiara, the clothes of the guests (female guests;), the cars, we haven’t recovered from the Jaguar E (James Bond style all over) in which the bride and groom left after the party. Everything was a reason for us to have been in royal wedding mode last weekend, we even bought fresh flowers to decorate the office in honor of Prince Harry and his sweet heart Meghan Markle! Because, this marriage was so unexpected to happen in a family like the British Royal Family, everything was much more special to us, after all the whole world witnessed a historical moment, where Love was definitely in the air, like a fairy tale ( we still remember the nightmare that was to see the unhappy face of Lady Di and Prince Charles). We couldn’t stop asking is this really happening? Or are we just watching a Disney movie?

 Instagram @peachsy
Instagram @peachsy

To be able to witness through a dream ceremony, that the world is changing, for the better, where Love overcomes all barriers, preconceptions, rules and protocols, is without a doubt a breath of fresh air. Here are some protocol rules that have been broken consciously by the royal couple and are proof that even the super conservative Royal Family wants to keep up with the new times.

Two rings in the ceremony

Usually, royal men don’t sport wedding bands after they marry. Harry’s grandfather, father and brother have all opted to follow this tradition by not wearing a ring after they wed their respective wives. However, Markle and Harry have chosen to break this tradition, exchanging rings in the ceremony that they will continue to wear. This signifies equality in the marriage and is a modern step for the monarchy.

 Getty Images
Getty Images

Meghan Markle entered the Church alone

With the world watching, a brave and confident (you really need to have the courage to walk what Meghan walked alone, with the weight of so many glances and 5 meters of veil, without ever wavering or needing a little push ) Meghan Markle made a striking feminist statement as she walks down the aisle of St. George Chapel. Markle has chosen to walk solo for the beginning portion of her bridal procession, Prince Charles was the one who accompanied her in the last few steps, becoming the first royal bride in UK history to walk into their wedding ceremony without a father-figure on her arm.

 Kensington Palace
Kensington Palace

Lemon elderflower Wedding cake

The reason why this is a big deal is because they’re forgoing the ‘traditional’ royal wedding cake in order to have this tart, buttercream-covered confection on their big day. What’s the customary royal cake, you ask? Usually is eight-layer cake filled with fruitcake. A fruitcake was originally a symbol of wealth and prosperity because of its precious ingredients such as dried fruits, alcohol, and spices. Furthermore, the cake, in a way, represented the vastness of the British empire, using ingredients from far-flung corners of the globe. But if there’s one thing we know about the royal couple, it’s that they don’t shy away from unconventional choices, so they chose California-born (panic is not British), London-based pastry chef Claire Ptak to made the lemon elderflower cake that incorporated the bright flavours of spring, covered with buttercream and decorated with fresh flowers, OMG! Now we just want to eat cake for lunch.

Meghan gave her own wedding speech

Another striking feminist statement. In the distinguished realm of royal weddings, it’s relatively uncommon for the bride to deliver a speech. The honour of lifting a glass and sharing your thoughts has long been reserved for the groom, the father of the bride, and the best man (AKA, all of the important men in the room.) However Markle gave a toast at her wedding reception, and she payed an affectionate tribute to new husband Prince Harry and say thank you to Queen Elizabeth, who is so graciously hosting the celebration at her castle.

The wedding was in May

There’s nothing better than a spring wedding, right? WRONG. It turns out, a marriage in May would not have been approved by the Prince’s great-great-great granny, Queen Victoria. The late, great monarch believed it was unlucky to marry in the fifth month of the calendar year, buying into the superstitious rhyme: “Marry in May, and rue the day.” Definitely, Harry and Meghan are not superstitious.

Meghan was married before

In the past, members of the royal family were not allowed to marry divorced people. As you may recall – from the history books or season one of The Crown – Princess Margaret had to end her relationship with Peter Townsend because he was divorced, and Edward VIII abdicated the throne to marry American socialite Wallis Simpson. But today this is no longer a problem and so Prince Harry was the first member of the royal family to have a church wedding with a divorcee.

Meghan is not Anglican

Prior to her marriage at Windsor Castle to Prince Harry, Meghan was baptized and confirmed in the Anglican Church. In completing these religious sacraments, Markle thus honors Queen Elizabeth, who, as sovereign, holds the title of “Defender of the Faith and Supreme Governor of the Church of England.”

gospelA Ceremony with a significant multicultural content

The address given by the presiding bishop of the American Episcopal Church, Bishop Michael Curry, was a rousing speech all about the power of love, opening with the words of civil rights leader Martin Luther King Jr, “We must discover the power of love, the redemptive power of love. And when we do that, we will be able to make of this old world a new world. Love is the only way.” Later in the service, gospel singers the Kingdom Choir raised the roof with their rendition of the Ben E. King classic Stand By Me. We are such fans of gospel choir and if until here we had manage to hold our tears, after this we stopped having strength and shame and we cried moved by this fairy tale full of Love.

 

—-

Adoramos casamentos reais é um facto que não podemos (nem fazemos questão) de esconder. O vestido de noiva, o véu, a tiara, as roupas dos convidados (entenda-se convidadas), os carros, ainda não nos recompusemos do Jaguar E, muito ao estilo James Bond em que os noivos partiram depois da festa, enfim tudo é razão para termos estado em modo Royal wedding o fim de semana passado, até comprámos flores frescas para decorar o escritório em honra do Principe Harry e da sua mais que tudo Meghan Markle! Este casamento por ser tão improvável de poder acontecer principalmente numa família como a Família Real britânica, ainda nos soube melhor, afinal o mundo inteiro assistiu a um momento histórico, em que o Amor estava definitivamente no ar (caso raro, ainda temos bem presente o pesadelo que foi ver o ar infeliz da Lady Di e do Príncipe Charles) muito ao estilo de um conto de fadas. Chegámos a questionar isto está mesmo a acontecer? Ou só estamos a assistir a um filme da Disney?

Poder testemunhar através de uma cerimónia de sonho, que o mundo está a mudar, para melhor claro, onde o Amor vence todas as barreiras, preconceitos, regras e protocolos, é sem duvida uma lufada de ar fresco. Aqui ficam algumas regras de protocolo que foram quebradas de forma consciente pelos noivos e que são prova que até a super conservadora Família Real Britânica, faz questão de acompanhar os novos tempos.

Príncipe Harry fez questão de usar aliança

Normalmente os homens da realeza, não usam alianças de casamento. O avô de Harry, o pai e o irmão, todos optaram por seguir esta tradição não usando um anel depois de se casaram com suas respectivas mulheres. No entanto, Markle e Harry escolheram quebrar esta tradição, trocando anéis na cerimónia que posteriormente  irão continuar a usar. O significado desta quebra de protocolo é a  igualdade no casamento e representa um passo na modernização da monarquia.

Meghan Markle entrou sozinha na Igreja

Com o mundo inteiro a assistir, uma corajosa e segura (é que é mesmo preciso ter coragem para andar o que ela andou sozinha, com o peso de sei lá quantas olhares e mais 5 metros de véu, sem nunca vacilar ou precisar de um empurrãozinho) Meghan Markle fez questão de fazer uma impressionante declaração feminista enquanto caminhava pelo corredor da St. George Chapel. Markle optou por ir sozinha quase até ao altar, o príncipe Charles foi quem a acompanhou nos últimos passos, tornando-se assim primeira noiva real na história do Reino Unido a entrar na sua cerimónia de casamento sem uma figura paterna ao seu lado.

 Bolo de Limão e flor de sabogueiro
 
A razão pela qual isto representa uma quebra no protocolo é porque os noivos renunciaram ao bolo de casamento real tradicional para ter um bolo coberto de creme de manteiga no seu grande dia. Mas afinal qual é o bolo real tradicional? Geralmente é um bolo piramidal com oito camadas feito de frutas. Um bolo de frutas era originalmente um símbolo de riqueza e prosperidade por causa de seus ingredientes preciosos, como frutas secas, álcool e especiarias. Além disso, o bolo, de certa forma, representava a vastidão do império britânico, usando ingredientes dos cantos mais distantes do globo. Mas se há uma coisa que sabemos sobre o casal real, é que eles gostam de  fugir das escolhas tradicionais, e por isso escolheram a Chef pasteleira Claire Ptak, nascida na Califórnia (pânico não é britânica), para fazer o bolo de limão, onde incorporou os sabores frescos da Primavera, coberto com creme de manteiga e decorado com flores frescas, Meu Deus! Agora só queremos comer bolo ao almoço.
Meghan fez um discurso no seu casamento

Outra marcante afirmação feminista. No distinto reino dos casamentos reais, é relativamente invulgar a noiva fazer um discurso. A honra de levantar um copo e partilhar os seus pensamentos tem sido reservada ao noivo, ao pai da noiva e ao padrinho (AKA, todos os homens importantes na sala). No entanto, Markle fez um brinde no seu casamento. E fez uma afectuosa homenagem ao seu novo marido, o príncipe Harry, e agradeceu à rainha Elizabeth, que tão simpaticamente fez questão de fazer a festa no seu castelo.

O casamento celebrou-se em Maio

Não há nada melhor que um casamento na primavera, certo? ERRADO. Acontece que um casamento em maio não teria sido aprovado pela falecida rainha Vitória. A monarca acreditava que dava azar casar no quinto mês do ano civil, dando origem à rima supersticiosa: “Casar em maio traz desmaio”. Definitivamente, Harry e Meghan não são supersticiosos.

A Meghan já foi casada

Antigamente, membros da família real não tinham permissão para casar com divorciados. Como talvez se lembrem – dos livros de história ou da primeira temporada da série A Coroa – a princesa Margaret teve que acabar com o seu relacionamento com Peter Townsend porque ele era divorciado, e Eduardo VIII abdicou do trono para se casar com a socialite americana Wallis Simpson. Mas hoje isto já não é um problema e assim o príncipe Harry foi o primeiro membro da família real a ter um casamento na igreja com uma divorciada.

Meghan não é Anglicana

Antes de seu casamento no Castelo de Windsor com o príncipe Harry, Meghan foi batizada e confirmada na Igreja Anglicana. Ao completar estes sacramentos religiosos, Markle homenageia assim a Rainha Elizabeth, que, como soberana, detém o título de “Defensora da Fé e Governadora Suprema da Igreja da Inglaterra”.

Uma cerimónia com um conteudo multicultural significante

O discurso dado pelo bispo presidente da Igreja Episcopal Americana, o bispo Michael Curry, foi sem duvida um empolgante discurso sobre o poder do amor, começando com as palavras do líder dos direitos civis Martin Luther King Jr. “Devemos descobrir o poder do amor, o poder redentor do amor. E quando fizermos isso, poderemos fazer deste velho mundo um novo mundo. O amor é o único caminho ”. Mais tarde, na cerimónia, os cantores gospel do Kingdom Choir realizaram uma performance sensacional do clássico Ben E. King Stand By Me. Somos fás de coros de gospel e se até aqui tínhamos conseguido aguentar as lágrimas, a partir daqui deixámos de ter força e vergonha na cara e chorámos comovidas por este conto de fadas cheio de Amor.